Composição das Fibras

Muito antes do inverno chegar, saio a campo para pesquisa e aquisição de novas fibras, fios e linhas. A escolha determinará que caminho percorro durante processo de criação no urdume. Há muita matéria-prima disponível no mercado. De origem animal e vegetal temos: fibra de coco, cânhamo, linho, algodão, juta, rami, sisal, ráfia, lã, cashmere, mohair. E as fibras químicas artificiais obtidas de matérias-primas vegetais ou animal, e as sintéticas, são elas: raiom, viscose, acetato, tencel (ou liocel), modal, lanital, acrilico, elastano, poliamida, microfibra (proveniente das fibras do acrílico, tactel poliéster, poliproleno e a supermicrofibra.

As linhas sintéticas tomam conta do mercado na Rua 25 de março e adjacências, entre fim de março e setembro a variedade é maior. Os preços de um novelo de 40g variam, de R$ 3,00 a 50,00, bons achados se faz.

A combinação da matéria-prima nos fios é o que determina a textura que obtenho nas tramas. Podem ser 100% de lã, acrílico, poliamida, poliéster, etc., ou de múltiplas combinações de fibras, tipo: 47%, 18% poliéster, 18% mohair, 10% acrílico e 7% de lã. É infinito. Desde que foram criados os primeiros fios sintéticos, a tecnologia faz mercado de tecidos, fios e linhas se renovar constantemente.

No livro TECIDOS, da jornalista Dinah Bueno (Editora Senac), você encontra um glossário prático sobre o tema. Tenho postado aqui a explicação de alguns deles. Acompanhem.